quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Supernova

Uma noite dessas, enquanto te ouvia cantar, pensei em escrever um poema pra você. Eu tinha o título, alguns versos... Mas sentei em frente à folha em branco e meus pensamentos não são mais capazes de dançar em forma de poesia. Talvez eu ainda consiga dar de presente uma prosa poética pra quem devolveu a poesia pra minha vida. Ou talvez sejam somente breguices escritas de forma linear. Quem sabe? Eu escolhi me arriscar.
Assim como eu escolhi me arriscar novamente ao decidir que não ia fugir quando comecei a sentir. Mas acreditar em você não foi uma escolha. É intrínseco, instintivo e inevitável. Não tive escolha, e se tivesse, escolheria confiar em você.
Quando eu ouço a tua voz e quando sinto tua energia, é como se toda uma galáxia nova nascesse dentro de mim. Cada uma das estrelas são coisas boas que você me faz sentir, e que eu quero retribuir.

Um dia houve uma explosão e todo um universo nasceu. Nós, beibe, somos feitos de poeira estelar. Um dia, vai haver todo um universo feito das galáxias desse nosso sentimento. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário